O Tradutor Profissional Pontífice

O-Tradutor-na-Era-Global O Tradutor Profissional Pontífice

Este post é todo ele voltado a estimular os iniciantes, e quem sabe não só eles, na prática de uma atividade profissional, que com a globalização, vem sendo cada vez mais valorizada: a de tradutor.

A práxis da Tradução deve, sim, ser encarada como uma profissão séria, que muito embora não seja regulamentada, está sujeita às leis severas do mercado, da oferta e da procura, da concorrência animal etc. etc.

Mas deve se estar muito consciente de que o Tradutor é um profissional de enorme importância para a vida e para a sobrevivência de nossa sociedade e que muito do que se produza poderá ser um legado para a nação.

Tradutor, um Pontífice

Sim, o Tradutor é um construtor de pontes – pontífice – entre mundos, culturas e civilizações no exercício de sua arte de traduzir.

Entretanto, quem está no mirante de onde contempla o desenrolar dessa atividade profissional, bem sabe que houve um tempo em que uma tradução era um bem incomparavelmente menos perecível do que atualmente.

As injunções do descartável, sob cujo império o mundo atual vive, fez com que também a arte de traduzir passasse a ser um produto descartável, em razão da caducidade das informações no cotidiano, dá urgência com que quase sempre uma tradução precisa ser feita e das pressões e contrapressões dos clientes.

A garra que um Tradutor deve ter

Diante disso, o tradutor pontífice precisa ter seus nervos de aço, ter muita inteligência e controle emocional, resiliência para ao mesmo tempo saber administrar sua mente, sua saúde, seu estresse, suas relações sociais com todos os envolvidos em seus projetos tradutórios e, é claro, levando em conta os aspectos financeiros envolvidos nessa atividade profissional.

O trabalho do Tradutor em Equipe

Nem sempre o trabalho de um tradutor será solitário e, dependendo de sua área de atuação e especialização, será desafiado a trabalhar em equipe.

E então nesse projeto terá de ajambrar a um só tempo o cliente, o gerente responsável pelo projeto, eventualmente também outros tradutores envolvidos, e um ou vários revisores de textos.

E nessas circunstâncias seu espírito solidário e colaborativo será acionado em alto grau, sem falar nas ferramentas tecnológicas de apoio ao tradutor que deverá estar dominando para poder participar do projeto. Realmente, não é pouca coisa!

Ou seja, o Tradutor Profissional sempre estará envolvido em um emaranhado complexo, em toda uma linha de montagem onde tudo se produz com muito dinamismo e muita rapidez.

E se o Tradutor deu o seu melhor é bem provável que será indicado pelos que participaram do mesmo projeto e poderá até ser convocado para novos trabalhos.

Mas o Tradutor Profissional não pode alimentar ilusões…

Nenhuma redoma protege o Tradutor Profissional

Pairando pelo ar em seu entorno há toda uma verdadeira feira de vaidades.

Em certos meios, aquelas panelinhas onde só os queridinhos penetram. E isso existe em qualquer área de atividade.

O Tradutor Profissional não estará protegido por qualquer tipo de redoma que seja, terá, sim, de lidar com muita gente arrogante e mal educada, com outros seres humanos que abraçaram sua mesma atividade profissional, mas que não estão dispostos a ajudar ninguém, e que, na primeira oportunidade lhe puxarão o tapete debaixo dos pés.

Parceiros de atividade profissional que amam ficar gemendo e chorando neste vale de lágrimas por qualquer coisa insignificante: faltou aqui uma vírgula, você deveria ter aberto novo parágrafo para introduzir essa ideia e não o fez. Ó meu deus, é o fim do mundo…

E não raro com aquela risota galhofeira e fácil com fundinho irônico e sarcástico, de quem parece já ter nascido sabendo tudo; mas não raro também de gente incompetente – é essa mesma a palavra – metida a tradutor e a revisor. Precisamente aqueles para quem ainda não caiu a ficha de que são uma fraude profissional. E que os há, os há!

Deixe seu Comentário!