6 LUGARES INCRÍVEIS PARA VISITAR

Você já parou para pensar na quantidade de lugares surpreendentes que existem mundo afora?

E se pudesse parar tudo para viajar hoje mesmo para qualquer lugar do planeta para onde iria?

Alguns endereços do nosso planeta são tão inacreditáveis que parecem irreais.

Uma breve relação de 6 lugares incríveis do mundo que qualquer um adoraria visitar.

1. Lago Cor de Rosa (Pink Lake) na Austrália

lago-cor-de-rosa 6 LUGARES INCRÍVEIS PARA VISITAR

Quem teria coragem de mergulhar em um lago de água salgada e cor de rosa?

Localizado na Austrália Ocidental, na região de Goldfields Esperance, esse lago, quando olhado de cima, parece um grande pedaço de chiclete tutti-frutti, ele é todo rosa.

Cientistas ainda não conseguiram explicar os motivos da cor do lago, mas acredita-se que dentro dele existam bactérias e algas produtoras de pigmento rosa.

O lago tem seiscentos metros de comprimento e está cercado por uma vegetação característica do local.

Mesmo colorida, a água do lago não representa riscos à saúde humana.

2. A Cidade Azul, do Marrocos

Localizada no meio das montanhas do norte do Marrocos, Chefchaouen foi fundada no ano de 1471.

A cidade que tem hoje cerca de trinta e cinco mil habitantes recebe turistas do mundo todo encantados não só pelas ruas, paredes, casas e prédios, mas principalmente pela sua cor azul.

Quase tudo na cidade é azul e todo esse conjunto de tons azulados faz um contraste incrível com o céu da cidade africana deixando a vista ainda mais bonita.

Os responsáveis por pintar a cidade foram os judeus, que chegaram à região no final do século XV, refugiados da inquisição espanhola.

Existem algumas explicações para a escolha da cor, que representaria o azul do céu, lembrando constantemente o poder do amor de Deus sobre o grupo de refugiados.

3. Casas Cubo de Roterdã

Projetadas em 1984, as Casas Cubo da cidade de Roterdã  (Holanda) se tornaram um ícone da cidade.

Foram construídas em cima de uma ponte, e representam, segundo seu arquiteto, uma espécie de árvore abstrata.

As pessoas moram nessas casas. Dentro da construção é possível encontrar um centro comercial, uma escola, são trinta e oito casas e uma torre de apartamentos.

Uma das casas está vazia e hoje serve para visitação pública.

4. The Wave no deserto do Canyon

Fazendo fronteira entre os estados de Utah e Arizona nos Estados Unidos, Wave pertence ao deserto do Canyon.

A formação rochosa é uma zona protegida, precisamente pela sua formação. O arenito não permite visitas massivas e por isso o acesso ao local é bem limitado.

Para visita-lo é preciso participar de um sorteio diário em que apenas vinte pessoas podem ganhar. Dez desses ingressos são sorteados online com quatro meses de antecedência e os outros dez no local.

Se pensa em visitar Wave, não agende sua passagem entre os meses de junho e setembro. Esse é o período de maior calor na região.

5. Vulcão Dallol na Etiópia

Formado há mais ou menos novecentos milhões de anos, o vulcão está localizado no norte da Etiópia.

É considerado um dos mais quentes do mundo. A temperatura na região chega a atingir a média anual de 34 graus celsius.

Esse vulcão tem uma aparência colorida e muito característica As cores amarelas, vermelhas e brancas na sua superfície podem ser explicadas por uma série de fatores.

Em primeiro lugar pela sua erupção, que se deu em 1926. Desde essa época, mesmo inativo, o lago se encheu com um ácido.

As cores são explicadas por variações do enxofre e do potássio encontrados na água. E pode chegar a temperaturas de até noventa graus.

A formação de fumaças tóxicas também garantem o resultado dessa combinação química bem singular, que chama a atenção de fotógrafos pelo mundo todo.

6. Postpile do Diabo na Califórnia

Essa rara formação geológica, na Califórnia (EUA), é conhecida como o mais famoso exemplo da formação de basalto em colunas.

De origem vulcânica, dura, e de cor escura, podendo ser cinza, preto ou verde, o basalto é o resultado da solidificação rápida da larva de vulcões, atingindo esse estado com o contato da larva com a atmosfera.

A formação dessas colunas se deve ao fato de que durante esse processo o basalto se contrai, resultando em grandes fraturas, deixando a rocha bem similar à forma de colunas.

Deixe seu Comentário!